quarta-feira, 9 de setembro de 2015

A FÉ CURA?


No capítulo 14 Os fluidos - item 31 - Curas - do livro A Gênese, Allan Kardec explica que: “A cura se opera pela substituição de uma molécula malsã por uma sã.”
Podemos classificar as curas em: curas materiais e curas espirituais. As curas materiais são proporcionadas pela Medicina, pelos remédios: As espirituais são as que se realizam com a participação dos médiuns. Neste ponto, o tratamento espiritual não dispensa o tratamento médico e vice-versa.
E quanto às curas de Jesus? No capítulo 15 de livro a Gênese, o Codificador do Espiritismo observa: Nas curas que operava, Jesus agia como médium? Não. Pois o médium é um intermediário um instrumento do qual se servem os espíritos desencarnados. Ora, o Cristo não tinha necessidade de assistência, ele que assistia e auxiliava os demais; agia, pois, por si mesmo, em vista de seu poder pessoal, tal como o pode fazer os encarnados em certos casos, e na medida de suas forças. Aliás, qual seria o Espírito que se ousaria insuflar-lhe seus próprios pensamentos e encarregá-lo de os transmitir? Se ele recebesse um influxo estranho, não poderia ser senão de Deus; pois ele era o médium de Deus.
O tempo para a obtenção da cura pode variar dependendo de cada caso. Temos que considerar que cada um de nós está submetido à Lei de Causa e Efeito, por isso, não obtemos a cura de todos os nossos males, nesta vida. Jesus não curou a todos.
No Evangelho segundo o Espiritismo há uma mensagem de um Espírito Protetor que nos orienta: “A fé é humana e divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou de suas aspirações celestiais e futuras. O homem de gênio, que se lança à realização de algum empreendimento, triunfa se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força. O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações de sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé não há maus pendores que não se chegue a vencer.”
O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.
O Espiritismo que restaura, atualmente, o primitivo Cristianismo vem orientando e ajudando nas curas espirituais pela desobsessão espiritual. O passe magnético. A água fluidificada. A reforma íntima sem esquecer da Caridade nas curas pela Terapia do Perdão. Façamos, pois... Fontes: A Gênese. ESE.

João Cabral 



sexta-feira, 28 de agosto de 2015

O QUE PARECE UM MAL PODE SER UM BEM


Conta-se que um grande trabalhador espírita desencarnou muito jovem. Sua esposa ficou revoltada, pois questionava a justiça divina. Dizia ela que com tanta gente má no mundo, por que Deus levou seu marido que era tão bom e fazia tanta caridade? Numa comunicação mediúnica os espíritos mandaram um recado a ela dizendo que: “estava programado, antes deles nascer, que o rapaz sofreria um derrame cerebral e ficaria 10 anos na cama sob os cuidados dela. Mas, como ele fez muita caridade, esta caridade quitou seus débitos. O amor que ele praticou cobriu uma multidão de débitos." 
Então, como diz Meimei: "AS VEZES, O MAL NA VIDA É O BEM MAL INTERPRETADO."

Rudymara




IRRITAÇÃO PODE CAUSAR DOENÇA



No livro "Nos Domínios da Mediunidade", André Luiz nos mostra uma senhora que chega ao Centro Espírita com o ventre volumoso e semblante dolorido a procura do passe como ajuda. O Espírito Conrado explica para André Luiz e outros Espíritos que ali estavam analisando o caso que: A mulher estava com icterícia complicada, seu fígado estava comprometido, e que nasceu de terrível acesso de cólera, em que ela se envolveu no reduto doméstico. Ela sentiu extrema irritação, e adquiriu hepatite, da qual a icterícia é a consequência.
Como vemos, muitas doenças não são de outra encarnação, mas de nossos desequilíbrios emocionais e outros abusos da saúde nesta atual encarnação. 
Então, como diz o Espírito Scheilla: "SAÚDE NO CORPO MUITAS VEZES COMEÇA NO PENSAMENTO SADIO...."


Rudymara




O SOFRIMENTO É INJUSTO?



UMA AMIGA NOS ESCREVEU CONTANDO QUE SUA MÃE DESENCARNOU COM CÂNCER. ELA ACHA QUE FOI INJUSTO O SOFRIMENTO DA MÃE PORQUE, DIZ ELA, QUE A MÃE ERA MUITO BOA.


Geralmente vemos nosso ente querido como o melhor do mundo, sem defeito algum e quando ele parte, achamos que foi antes do tempo ou que ele não merecia sofrer. Não é bem assim. Todos temos defeitos e todos nós falhamos em nossas atitudes, seja nesta ou em outra vida. Estamos numa escola que se chama Planeta Terra. Nela estamos aprendendo, aos poucos, como agir. Numa encarnação apenas não nos tornamos seres angelicais. A avaliação aos olhos dos encarnados é diferente da dos olhos da Justiça Divina. Como está no O livros dos Espíritos, questão 642: “Não basta que o homem não pratique o mal; cumpre-lhe fazer o bem no limite de suas forças, porquanto responderá por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem.”
Muitos passam pela vida sem fazer nada de útil. Não fazem o mal que conhecemos como: matar, roubar, etc., mas não praticam o bem e a falta da nossa ajuda a alguém ou a uma instituição de caridade pode ter prejudicado muita gente. O descuido com nossa saúde física e emocional também pode causar doenças. Há muito abuso das drogas lícitas e ilícitas, da alimentação, dos sentimentos negativos. O câncer, por exemplo, pode aparecer por causa de algo que fizemos em outra vida ou então nesta, é o caso, por exemplo, do cigarro, mas pode também ser causado por nosso desequilíbrio emocional.
OBSERVEMOS ESTES EXEMPLOS:
 * André Luiz conta no livro Missionários da Luz que, um Espírito ao preparava-se para reencarnar, pediu para seu novo corpo físico uma úlcera que apareceria em sua madureza física e que não deveria encontrar cura até sua desencarnação, para que ele pudesse ressarcir um assassinato que cometeu ao esfaquear um homem (que estava na sua madureza física) na região do estômago. Como vemos, mesmo que este Espírito cuide de sua saúde durante toda sua juventude, não fugirá da úlcera (câncer) “moral” que “ele pediu”.

* No livro "Nos Domínios da Mediunidade", André Luiz nos mostra uma senhora que chega ao Centro Espírita com o ventre volumoso e semblante dolorido a procura do passe como ajuda. O Espírito Conrado explica para André Luiz e outros Espíritos que ali estavam analisando o caso que: A mulher estava com icterícia complicada, seu fígado estava comprometido, e que nasceu de terrível acesso de cólera, em que ela se envolveu no reduto doméstico. Ela sentiu extrema irritação, e adquiriu hepatite, da qual a icterícia é a conseqüência.

* Conta-se que um grande trabalhador espírita desencarnou muito jovem. Sua esposa ficou revoltada, pois questionava a justiça divina. Dizia ela que com tanta gente má no mundo, por que Deus levou seu marido que era tão bom e fazia tanta caridade? Numa comunicação mediúnica os espíritos mandaram um recado a ela dizendo que: “estava programado, antes deles nascer, que o rapaz sofreria um derrame cerebral e ficaria 10 anos na cama sob os cuidados dela. Mas, como ele fez muita caridade, esta caridade quitou seus débitos. O amor que ele praticou cobriu uma multidão de débitos." As vezes, o que nos parece um mal é um bem.

* Richard Simonetti conta que: “Um homem de 45 anos, morreu durante o sono. E a viúva, inconsolável, recebe condolências . . . Muitos repetem as clássicas palavras: ‘Chegou sua hora . . . Deus o levou! . . .’ Piedosa mentira! Aquele homem foi um suicida! “Aniquilou-se, lentamente, fazendo uso desse terrível corrosivo que se chama IRRITAÇÃO.”

* Vejamos o caso de crianças que nascem com câncer. Como pode? Parece injustiça, não é? Mas,crianças são espíritos velhos em corpos novos. Eles chegam resgatando débito do passado reencarnatório. Afinal, moramos num planeta de provas e expiações onde reúne espíritos que precisam realizar aprendizado em prol de seu progresso e para acertar contas com a consciência, com as leis divinas.
Mas nem todo sofrimento é expiação, ou seja, ás vezes a pessoa sofre mas não está resgatando débito, está realizando uma prova. São raros, mas existe. Um Espírito pode ter conquistado um certo grau de elevação, mas querendo avançar mais, solicita uma missão, uma tarefa, pela qual será tanto mais recompensado, se sair vitorioso quanto mais penosa tiver sido a sua luta. Esses são, mais especialmente, os casos das pessoas de tendência naturalmente boas, de alma elevada, de sentimentos nobres inatos, que parecem nada trazer de mal de sua precedente existência, e que sofrem com resignação cristã as maiores dores, pedindo forças a Deus para suportá-las sem reclamar. É o caso de Alcione, personagem principal do livro Renúncia, escrito por Emmanuel. A história é de um espírito angelical que não tinha obrigação de voltar à Terra, mas voltou por vontade própria, para ajudar alguns tutelados (protegidos) seus. Ela trabalhava como governanta em rica mansão. O dono da casa (Cirilo), a filha (Beatriz) e o sogro (Jacques) gostavam muito dela, mas a patroa (Susana), a detestava, porque sentia ciúme do amor que a família sentia por Alcíone. A patroa a maltratava impondo tarefas rudes, que não era sua obrigação, para que ela fosse embora, já que não podia tomar a iniciativa de despedi-la, com o que seus familiares não concordariam. Com o tempo, o comportamento da serva acaba por sensibilizar Susana, que se torna sua amiga.
Então, como vemos, ninguém sofre por acaso. A lei divina é justa e perfeita. Por detrás de uma história que conhecemos há outra que só Deus conhece. Tenhamos fé na Sua justiça, bondade e perfeição!
 

Rudymara
 
 

 

JESUS FOI CONDENADO À PENA DE MORTE



Jesus foi, injustamente, condenado a morte. Por contrariar sacerdotes e fariseus estes planejaram sua morte. Infelizmente, até hoje convivemos com esta intolerância. O que será que aconteceria se Jesus estivesse entre nós? Hoje não há crucificação, mas há linchamento, emboscada, sequestro, etc. Pensemos juntos: Sua vinda mudou totalmente o comportamento dos cristãos? Não. Por que? Porque só ficamos na admiração de sua vinda; só decorando seus ensinamentos; só tentando agradá-Lo indo à templo religioso, deixando de comer carne na data que lembramos sua morte ou fazendo ceia farta regada a bebida alcoólica para lembrar seu nascimento, enfim, só repetindo seus gestos ou fazendo a vontade imposta pela religião sem fazer o que realmente Ele espera de nós que é a vivencia de seus ensinamentos. Agimos de maneira superficial e com hipocrisia. 
Jesus não viveu para nos salvar, mas para mostrar o caminho da salvação. Se Ele tivesse levado o pecado do mundo, o mundo não estaria tão desequilibrado. Ele está esperando que salvemos o mundo com nossa conduta em relação ao próximo, ao planeta e a nós mesmos usando os ensinamentos Dele.
Como estamos tratando o próximo da família consanguínea? Da escola? Do trabalho? Da via pública? E o planeta: os animais, as florestas, o ar? Jesus desceu da cruz e continuou a ensinar. Façamos valer o sacrifício Dele por nós.
Pensemos nisso.


Rudymara



POR UM MUNDO MELHOR


POR UM MUNDO MELHOR


VIVA JESUS!


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

MENSAGEM DO TIO NILSON



Que a paz de Jesus permaneça conosco!
Estes são dias próprios para a evolução da criatura humana.
Aproveito de uma pausa entre as comunicações dos sofredores para abraçar os companheiros de luta que se encontram em nossa Casa com abnegação e devotamento.
Falar de saudade seria demonstrar insensibilidade ao amor de Deus que me faculta carinhoso apoio, dos benfeitores queridos, dos familiares devotados e dos amigos que me antecederam na volta ao Grande Lar,
Nada obstante, quanta saudade!...
Uma longa existência carnal impõe ao Espírito hábitos que se prolongam além do corpo, na Erraticidade.
As recordações avolumam-se e as lágrimas teimam em descer pela comporta dos olhos porque são também feitas de gratidão.
Gratidão à fidelidade dos seus corações, segurando a charrua e trabalhando o solo das existências despedaçadas.
Estamos convidados para implantar o Reino de Deus na Terra.
Neste momento, forças satânicas estão ceifando vidas cristãs nas cidades conquistadas. Através da degola repetem os dantescos espetáculos do passado.
Jesus prossegue odiado por uns, desconhecido por outros e negligenciado por aqueles que O conhecem.
Não por nós, que O amamos, porque Ele nos arrancou do cativeiro das paixões inferiores e acenou-nos com plenitude.
Sigamos pacientes, confiantes!
Momento de crise é período que anuncia mudança.
Toda mudança produz estranheza e faz-se desafio.
Não façamos parte dos grupos que gritam, que blasfemam, que promovem anarquia...
Sejamos servidores de Jesus onde e quando se nos faça necessário.
Seja a Casa que Ele nos confiou um recanto seguro de paz para aqueles que a sociedade excluiu do seu grupo e nos acostumamos com a miséria em que se encontram.
Mantenhamos aceso o ideal da fraternidade e nunca nos arrependeremos de havermos sido gentis, cordatos, pacíficos e pacificadores.
Os dias sucedem-se, mas o Mestre é o mesmo.
Ainda estamos em Cafarnaum escutando-Lhe a voz e preparando-nos para os grandes caminhos que nos cumpre percorrer...
Irmãos queridos, exoro as bênçãos divinas para todos, a fim de que tenham coragem, a coragem do amor, que nunca titubeia e jamais fracassa.
Abraçando os corações queridos, o velho amigo e companheiro de lutas entre os sofredores,

Nilson



(Página psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em 19 de agosto de 2015, na reunião mediúnica do Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador – BA).